terça-feira, 27 de janeiro de 2009

25 DE JANEIRO - UMA ODISSÉIA SOBRE TRILHOS (PARTE II)

Fim da viagem (sobre trilhos). Estação "Interlagos". Após sair de lá, meio que por ato condicionado, me lembro de Drummond: "E agora, José?". Como eu iria fazer para chegar ao SESC? Como que por osmose, decidi ir sem rumo, seguindo o barulho... mas não poderia dar certo. Como todo forasteiro, decidi perguntar à primeira pessoa que visse pela frente (após ter falado com o bilheteiro da estação, com o guarda, com a tiazinha sentada na calçada e até mesmo com o poste - e não estava bêbado)... tive de andar um bom trecho até o ponto de ônibus (eu havia me perguntado pela vigésima oitava vez: "Onde fui parar?").
Após um tempinho no ponto de ônibus (dadas as circunstâncias, aquilo pareceu uma eternidade), o ônibus (ou "coração de mãe"?) chegou... Entrou a Fiel Torcida nele. Finalmente, o SESC. Por sorte, ainda havia ingressos para o show do ex-titã (vou fazer um mea-culpa por ter me esquecido disto: eram 17h10... para um concerto que começaria às 16h, somente UMA HORA E DEZ MINUTOS não foi muito tempo de atraso).
Para encurtar mais um pouco a história: ao chegar na região do palco, decidi ligar para os meus amigos... não precisaria ser nenhum Capitão Nascimento para deduzir que eles não ouviriam nada (quem iria colocar isso na cachola dum mano desesperado?! Nem Charles Xavier conseguiria tal feito). Como dois e dois são quatro, havia uma amostra da população chinesa ali. Procurar por eles seria como brincar de "Onde está Wally", versão Itu. Tentei desencanar e curtir o (resto do) show.
A tentativa não deu muito certo. Quando eu menos esperava, lá estava tentando fazer a "varredura", meio que por ato condicionado (um ato de idiotice incondicional, diga-se de passagem). Nota: o público parecia uma miscelânea: havia uma galera dentro do típico perfil USP (estilo hipponga, vibe despretensiosa, que curte um papo cabeça - e de mandar outras coisas para a cabeça também); outros, que não queriam passar o feriado em casa... além da galera das piscinas dali.
Enquanto rolava a sessão "sucessos da rádio" no show, eu me perguntava se havia mais pessoas na mesma situação que eu... era humanamente impossível haver mais um "mané" do meu calibre naquelas bandas. De repente, surge uma luz no fim do túnel... ou melhor: uma ligação no celular. Ao melhor estilo Joseph Klimber, a chamada parou no terceiro toque, suponho. Tentei retornar, óbvio, mas não era ninguém que eu conhecesse. Só consegui ouvir "Não estou ouvindo nada" (por que será?) e "Quem está falando?". Desencanei e desliguei a ligação... apost0 que maldisseram umas cinco gerações da minha família naquele instante.
"Luz dos olhos brilham ao te ver...". O que me restava era viajar no show... está na Argentina, grite "É penta!"... não havia muito a fazer. "Luz dos olhos", por sinal, é a minha música favorita do Nando Reis. Pouco tempo (umas duas músicas) depois, o show já era... debandada geral. Reação óbvia: procurar por algum ponto de intersecção para tentar vê-los. Enquanto isso, fui fazer uma ligação para desculpar-me pelo "trote"... desculpas aceitas, pensei em puxar papo, mas não tinha créditos - e nem "cabeça" - para fazê-lo.
Como num passe de mágica, o contato com meus amigos foi restabelecido. Após (conseguir a façanha de) encontrá-los, ouço a seguinte brincadeira: "Amauri, por isso que você não nos encontrou... você está sem os óculos.". Consta também que a galera estava, praticamente, nas primeiras filas... y yo, obviamente, no fundão... quase passando mal e, por pouco, não entrando na brisa por osmose.
Epílogo: vale citar que, na volta, por causa da chuva, o Rio Pinheiros mandou uma lembrança odorífica de sua existência... e esta história irá sair em definitivo dos trilhos.

3 comentários:

Gabriela disse...

Hahaha, bela história... isso é que é vontade de ir a esse show hein?
Bjs e Sucesso!!!

Marilaine disse...

Moral da História: Não tire os óculos. kkkk ... Bjos

soniarocco disse...

Menino titia está orgulhosa do sobrinho escritor, toda a aventura foi sintetizada num texto claro e inteligente... ADOREEEEEEEEI!
Beijos e Parabéns